Quem não tem coração e atitude de ovelha, não serve para ser pastor. A autoridade provém da submissão e o governo é legitimado pelo serviço.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Mas vós, quem dizeis que eu sou?

Eu particilarmente gosto muito dessa expressão de Jesus. Quando em meio ao movimento das muitas e diversas opinões sobre ele, Jesus pede a seus discípulos que expressem através da pergunta: "E saiu Jesus, e os seus discípulos, para as aldeias de Cesaréia de Filipe; e no caminho perguntou aos seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens que eu sou?" (Mc 8.27). Acho interessante quando Jesus faz essa pergunta a eles. Mas qual seria objetivo de Jesus com esse questionamento? Entendo que objetiva saber da intenção e do aprofundamento da visão de cada um de seus discípulos sobre seu ministério e envio. A multidão declara, através da palavra expressa dos discípulos aqui, como Jesus uma espécie de Elias e Profeta (v.28), Jesus então, no desejo de aprofundar sua visão sobre aqueles que o seguiam, pergunta: "...Mas vós, quem dizeis que eu sou? E, respondendo Pedro, lhe disse: Tu és o Cristo" (v.29).

Como é interessante saber que Jesus se preocupa com a nossa visão sobre seu ministério, contudo essa mesma pergunta pode nos afastar do desejo de Deus a cada um. Jesus queria ver a intensão deles, expressa por meio de uma declaração. Enquanto falamos do que os outros acham nos escondemos do que realmente achamos sobre determinado fato. Posso dizer que até então era fácil construir uma idéia de acordo com a visão da multidão. O grande desafio da revelação é sair da multidão. Jesus Pastoreava a multidão e também aprofundava sua "didasco" (ensino) com seus discípulos. Sou pastor de multidão quando me refiro a estar aberto à mais profunda e íntima paixão pelos perdidos. Quando Jesus recebe a delcaração que ele era o "Cristo, o Filho do Deus vivo", é confirmada aqui pelos homens seu ministério. Ele agora pode voltar para junto do Pai, pois sua missão (revelação que mostrou a que ele veio) estava cumprida, e os seus seguidores sabiam qual era o seu propósito na Terra: salvação dos perdidos da Casa de Israel.

Até que... Pedro mesmo falou bobagem, foi homem, sua condição antes da revelãção. Pedro é repreendido por Jesus por querer que o Mestre ficasse mais na terra, desse uma alongada ministerial. Que nada, Jesus o repreende e ainda o declara instrumento de ação do inimigo.

O propósito de Jesus é levado até o fim. Ele é o melhor pastor de multidões que a Bíblia relata. Ele é fera mesmo, pois ama a Pedro apesar de o mesmo o ter negado. Ele investe naqueles que a sociedade mesmo espera. Ele é o exemplo a ser seguido. E você? Está disposto a seguir a esse Jesus que se doou por cada um de seus pecados? "Mas vós, quem dizeis que eu sou?".

Decide voltar a escrever por entender que precisamos expressar o que achamos e pensamos sobre Jesus. Faça o mesmo, fale do Seu imenso amor, seuja instrumentos de salvação, faça discípulos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário