Quem não tem coração e atitude de ovelha, não serve para ser pastor. A autoridade provém da submissão e o governo é legitimado pelo serviço.

domingo, 18 de julho de 2010

Informativo Regional


Saudades

16 a 23 de Julho - Três Lagoas e alguns de meus pensamentos internos...

Saudades da...


Família e da minha esposa Lídia, que tem sido a motivação de muito daquilo que sempre busquei numa esposa, amiga, e companheira;

Igreja e dos meus discípulos, que a cada dia mais me fazem valer a pena em continuar o Ser Pastor;

Casa, que maravilha é ter uma casa, uma cama grande, conforto, água abundante, chuveiro quente, televisão e os variados DVD’s do House e etc.

Contudo... não existe nada melhor do que fazer a vontade de Deus, e servir como instrumento de salvação numa cidade, no bairro, na vizinhança...

Fomos chamados para darmos frutos e nosso fruto permanecer em Deus!

Projeto de Vida

Existem muitas pessoas na vida que trabalha para salvar o outro. O doutor para salvar os feridos de suas feridas, infecções e das doenças que afetam o corpo humano. O educador objetiva salvar o homem, a mulher, a criança, o jovem e o adolescente de ser escravo do vazio racional, ele sempre está diante dos desafios, assim como também o médico no exercício de sua medicina: salvar o homem.



Olhando para outra época me deparo com Jesus. Ele sempre objetivou salvar o ser humano, primeiro vemos que o seu ministério visualizava salvar as pessoas, os amigos, os religiosos de uma fé segmentada, e mesmo tempo vazia. As pessoas não sabiam que o projeta Isaías falara dele, os mestres da lei nem imaginava que Ele poderia ser o salvador, mas como um menino pobre, de uma família humilde poderia ser o Salvador de um mundo desumano. A espiritualidade era irrelevante, as pessoas pensavam apenas em si mesmo, assim como em nossos tempos.


Estamos em Três Lagoas. Pagamos para chegar até este lugar. Separamos uma semana de nossas vidas para falar do amor de Jesus por estas pessoas. Muitos abriram suas casas para escutar nossa mensagem, outros nem notarão nossa presença, será irrelevante para ele, não porque temos uma mensagem vazia, e sim porque não estão dispostos a nada... a pensar, mudar, sentir algo novo, sonhar...


Queremos com isso plantar a semente em seis corações, esperamos que seja em terra boa, e não no caminho, ou perto das pedras, ou até mesmo entre espinhos. As pessoas não precisam mais de pedras em seus corações petrificados, e nem espinhos nos arbustos emocionais que estão envolvidos... e sim elas anseiam buscar o Deus vivo, cujo amor é tão grande que precede a sua ação.


O melhor desejo é que o Projeto Missionário aqui em Três Lagoas seja bênção na vida dessas pessoas...


Fico aqui, na esperança que melhores dias virão. Carinhosamente...

segunda-feira, 12 de julho de 2010

O Obreiro Aprovado de Deus


Tendo encorajado Timóteo a continuar no seu serviço de evangelista (2 Timóteo 1.6-8 “Por esta razão, pois, te admoesto que reavives o dom de Deus que há em ti pela imposição das minhas mãos. Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação. Não te envergonhes, portanto, do testemunho de nosso Senhor, nem do seu encarcerado, que sou eu; pelo contrário, participa comigo dos sofrimentos, a favor do evangelho, segundo o poder de Deus”), Paulo agora o exorta a encarar os sofrimentos deste trabalho, desenvolvendo as seguintes características do ministro fiel:

1. Mestre da palavra (2.1-2 – “Tu, pois, filho meu, fortifica-te na graça que está em Cristo Jesus. E o que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis e também idôneos para instruir a outros.”). Em sofrimento, o servo de Deus deve procurar força na graça de Deus, e não em sua própria capacidade ou sabedoria (veja Hebreus 12.28; Tito 2.11-14; 2 Coríntios 12.7-10).

Assim fortificado, é necessário que o servo ensine a palavra da graça de Cristo para outros (Atos 20.32 – “Agora, pois, encomendo-vos ao Senhor e à palavra da sua graça, que tem poder para vos edificar e dar herança entre todos os que são santificados”). Nisto notemos duas coisas importantíssimas:

• É a vontade de Deus que a mesma palavra se passe de uma geração para outra. Paulo disse, "o que da minha parte ouviste...isso mesmo transmite a homens...para instruir a outros" (2.2). Deus não quer que novas gerações ensinem coisas novas (veja Gálatas 1.8).

• O que é preciso em quem vai ensinar a palavra é fidelidade, e não eloqüência ou sabedoria própria (veja 1 Coríntios 4.1-2). Quem se fortifica na graça de Deus e não no orgulho de homens ensinará apenas a palavra de Deus.

Soldado, atleta, lavrador (2.3-13). O servo do Senhor precisa ser bem treinado e disciplinado para que possa alcançar os alvos de Deus. Como soldado, terá que sacrificar certos confortos e seus próprios desejos para conquistar o objetivo do seu capitão. Como atleta, terá de seguir regras, sacrificando a sua liberdade para receber o prêmio. Como lavrador, terá que trabalhar duro com muita paciência, para depois receber o fruto (2.3-7 – “Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus. Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou. Igualmente, o atleta não é coroado se não lutar segundo as normas. O lavrador que trabalha deve ser o primeiro a participar dos frutos. Pondera o que acabo de dizer, porque o Senhor te dará compreensão em todas as coisas”.).

Jesus e Paulo são exemplos perfeitos. Eles sofreram em servir a Deus, confiantes que ele dê a cada um de acordo com as suas obras (2:8-13; veja 2 Coríntios 5:9-10).

2. Obreiro diligente (2:14-19). Enquanto muitos no mundo religioso se enrolam com questões de doutrinas de igrejas e teologia humana, o servo de Deus precisa se afadigar no estudo da palavra da verdade (2:15). Quem busca contendas de doutrinas e segue toda idéia nova gasta seu tempo e corrompe outros com sua falta de confiança na simples palavra de Deus (2:14,16-19; veja Marcos 12:24,27; Efésios 4:11-14).

3. Vaso santificado e disciplinado (2.20-26 - Ora, numa grande casa não há somente utensílios de ouro e de prata; há também de madeira e de barro. Alguns, para honra; outros, porém, para desonra. 21 Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra. 22 Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor. 23 E repele as questões insensatas e absurdas, pois sabes que só engendram contendas. 24 Ora, é necessário que o servo do Senhor não viva a contender, e sim deve ser brando para com todos, apto para instruir, paciente, 25 disciplinando com mansidão os que se opõem, na expectativa de que Deus lhes conceda não só o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade, 26 mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade”. O servo de Deus deve disciplinar a sua própria vida, fugindo das coisas que não convêm, e seguindo as que o tornam útil para serviço na casa de Deus (2:20-23). Com a sua própria vida em ordem, o servo então deve exortar a outros, lhes ensinando a pura palavra de Deus com a esperança de que sejam convencidos a se arrepender e parar de servir o diabo (2:24-26).

 
Obreiro aprovado

Grupo Logos
Composição: (Paulo Cezar)

G D/F#

Você lembra quando foi

Em Bm7
Que o senhor o separou

C G/B
Dentre todos os amigos

Am7 D
Dentre os entes mais queridos?

G D/F# Em Bm7
E lhe encheu a alma toda de paixão tão desmedida

C G/B
Pelas almas, pelas vidas,

Am7 D
Que não sabem pra onde vão

C D
Mas o tempo foi passando

G D/F# Em
E a paixão se esfriou...

C G/B
Oh meu Senhor

Am7 D7 G
Responda-me: Por quê?



G Bm7
Você precisa ser um obreiro aprovado

C Am D
E não ser acusado por ninguém.

C Bm7
Andar como meu filho andou

C D G
E amar com o genuíno amor

D/F# Em
Que eu lhe dei.

C
Mas...

G/B
Se me buscar na palavra,

C G/B
De coração na palavra,

C G/B
Eu dou-lhe Minha palavra:

Am7 Am
Me achará

D
E aprovado será.

Pastores/as aprovados/as por Deus

Há pastores na maioria das igrejas. Muitas pessoas almejam o cargo de pastor. Biblicamente, a função dos pastores é cuidar do rebanho (igreja) de Deus (veja 1 Pedro 5:1-2; Atos 20:28). Como servos de Deus, os verdadeiros pastores mostrarão a sua preocupação com a vontade do Senhor, fazendo e ensinando o que ele diz.
Nosso estudo de pastores, necessariamente, se baseia na Bíblia. Antes de entrar no estudo, quero explicar meus motivos. Estou escrevendo este artigo para ajudar pessoas honestas a servirem ao Senhor. Conforme o padrão bíblico, eu faço parte de uma congregação local, onde sirvo ao Senhor junto com outras pessoas. Não mantemos nenhum tipo de laço com nenhuma denominação. A nossa responsabilidade é de fazer a vontade de Deus, e aceitamos a Bíblia como a única fonte de informações sobre a vontade dele. Eu não tenho nenhum motivo para defender nem atacar qualquer pessoa ou organização religiosa. Meu propósito é bem simples: servir a Deus e ajudar outras pessoas a fazerem o mesmo.

Sem dúvida, este artigo não agradará a todos. Da mesma maneira que o ensinamento de Jesus desafiou os líderes religiosos de sua época, a palavra dele exige mudanças radicais por parte dos líderes de muitas igrejas hoje. Não podemos forçar ninguém a mudar, mas podemos e devemos avisar sobre o perigo de seguir a sabedoria humana (leia Provérbios 14:12; Isaías 55:6-9; Jeremias 10:23; Ezequiel 3:18-21). Eu sei, de antemão, que este estudo vai contrariar os ensinamentos e as práticas de muitos pastores e de muitas igrejas. Mas, eu não posso servir a Deus e agradar a todos os homens (Gálatas 1:10). Apresento este artigo depois de anos de estudo e oração, com o único propósito de divulgar e defender a palavra pura do Deus santo. Peço que você aborde o assunto com mansidão e o desejo de aprender a aplicar a palavra do Senhor. "Portanto, despojando-vos de toda impureza e acúmulo de maldade, acolhei, com mansidão, a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar a vossa alma. Tornai-vos, pois, praticantes da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não praticante, assemelha-se ao homem que contempla, num espelho, o seu rosto natural; pois a si mesmo se contempla, e se retira, e para logo se esquece de como era a sua aparência. Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita, lei da liberdade, e nela persevera, não sendo ouvinte negligente, mas operoso praticante, esse será bem-aventurado no que realizar" (Tiago 1:21-25).

Pastores/anciãos no Velho Testamento
Sabemos que o Novo Testamento, o evangelho de Cristo, fornece o padrão para a igreja de hoje (veja João 12:48-50; Hebreus 8:6-13; 2 João 9; Colossenses 3:17). Mas o Antigo Testamento contém exemplos instrutivos que ajudam para entender a vontade de Deus (1 Coríntios 10:1-13; Romanos 15:4). No Velho Testamento, encontramos líderes entre o povo de Israel chamados, às vezes, anciãos (o sentido da palavra presbítero no Novo Testamento). Os anciãos das cidades israelitas resolveram problemas que surgiram entre as pessoas (Deuteronômio 21:2,19; 22:15-17; Rute 4:1-11). Quando não conduziram o povo no caminho de Deus, ele cobrou: "O Senhor entra em juízo contra os anciãos do seu povo e contra os seus príncipes. Vós sois os que consumistes esta vinha; o que roubastes do pobre está em vossa casa. Que há convosco que esmagais o meu povo e moeis a face dos pobres? — diz o Senhor, o Senhor dos Exércitos" (Isaías 3:14-15). Deus condenou os pastores gananciosos que não compreenderam a vontade dele e conduziram o povo ao pecado (Isaías 56:9-12). Jeremias transmitiu as palavras do Senhor sobre pastores maus: "Porque os pastores se tornaram estúpidos e não buscaram ao Senhor; por isso, não prosperaram, e todos os seus rebanhos se acham dispersos" (Jeremias 10:21). "Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto! —diz o Senhor. Portanto, assim diz o Senhor, o Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e delas não cuidastes; mas eu cuidarei em vos castigar a maldade das vossas ações, diz o Senhor" (Jeremias 23:1-2).
Pastores nas igrejas do Novo Testamento
No Novo Testamento, encontramos muitas referências aos pastores/presbíteros/ bispos. Descobrimos em Atos 20:17 e 28 que esses três termos se referem aos mesmos homens (veja, também, 1 Pedro 5:1-2, onde os presbíteros pastoreiam). Não temos nenhuma base bíblica para usar o termo "bispo" para descrever um cargo, "pastor" para outro e "presbítero" para ainda outro. Pastores, bispos e presbíteros são os mesmos servos. Lendo o livro de Atos, achamos vários versículos que mencionam presbíteros: na Judéia (11:30); em cada igreja na Ásia Menor (14:23); em Jerusalém (15:2,4,6,22,23; 16:4); da igreja em Éfeso (20:17,28) e, mais uma vez, em Jerusalém (21:18). As epístolas, também, se referem aos homens que pastoreavam as igrejas: "pastores e mestres" (Efésios 4:11); "bispos" em Filipos (Filipenses 1:1); "o presbitério" (1 Timóteo 4:14); "presbíteros que há entre vós" (1 Pedro 5:1; aqui aprendemos que Pedro era presbítero, um dos dois apóstolos assim identificados—veja 2 João 1 e 3 João 1).

O trabalho dos presbíteros inclui várias funções importantes: pastorear (Atos 20:28; 1 Pedro 5:2); ensinar (Efésios 4:11-16; Tito 1:9); ser modelos (1 Pedro 5:3); presidir (1 Timóteo 5:17); vigiar (Atos 20:31); velar por almas (Hebreus 13:17); guiar (Hebreus 13:17); cuidar/governar (1 Timóteo 3:5); ser despenseiro de Deus (Tito 1:7); exortar (Tito 1:9); calar os enganadores (Tito 1:9-11); etc.

Observamos em todos os exemplos bíblicos que as igrejas que tinham presbíteros sempre tinham mais de um. Seja em Jerusalém, Éfeso, Filipos ou outro lugar, sempre fala dos presbíteros no plural. A prática comum nas igrejas de hoje, de ter um só pastor numa congregação, não tem nenhum fundamento bíblico.

As qualificações bíblicas de pastores/presbíteros/bispos
Paulo cita as qualificações dos bispos/presbíteros em duas cartas (1 Timóteo 3:1-7; Tito 1:5-9). A linguagem dele deixa bem claro que ele não está dando meras sugestões, e sim requerimentos. Em 1 Timóteo 3:2 ele diz: "É necessário, portanto, que o bispo seja...." Tito 1:7 diz: "Porque é indispensável que o bispo seja...." Antes de examinar as qualificações em si, vamos entender bem esse ponto. Os requerimentos que encontramos nesses dois trechos são qualidades que o Espírito Santo revelou, através de Paulo, como exigências. Para servir como presbítero, um homem precisa de todas essas qualidades. Ninguém tem direito de apagar nenhum "i" ou "til" do que Deus falou aqui.

Agora, vamos ler o que o Espírito falou nessas duas listas paralelas (bem semelhantes, mas não exatamente iguais).

"Fiel é a palavra: se alguém aspira ao episcopado, excelente obra almeja. É necessário, portanto, que o bispo seja irrepreensível, esposo de uma só mulher, temperante, sóbrio, modesto, hospitaleiro, apto para ensinar; não dado ao vinho, não violento, porém cordato, inimigo de contendas, não avarento; e que governe bem a própria casa, criando os filhos sob disciplina, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a própria casa, como cuidará da igreja de Deus?); não seja neófito, para não suceder que se ensoberbeça e incorra na condenação do diabo. Pelo contrário, é necessário que ele tenha bom testemunho dos de fora, a fim de não cair no opróbrio e no laço do diabo" (1 Timóteo 3:1-7).

"Por esta causa, te deixei em Creta, para que pusesses em ordem as coisas restantes, bem como, em cada cidade, constituísses presbíteros, conforme te prescrevi: alguém que seja irrepreensível, marido de uma só mulher, que tenha filhos crentes que não são acusados de dissolução, nem são insubordinados. Porque é indispensável que o bispo seja irrepreensível como despenseiro de Deus, não arrogante, não irascível, não dado ao vinho, nem violento, nem cobiçoso de torpe ganância; antes, hospitaleiro, amigo do bem, sóbrio, justo, piedoso, que tenha domínio de si, apegado à palavra fiel, que é segundo a doutrina, de modo que tenha poder tanto para exortar pelo reto ensino como para convencer os que o contradizem" (Tito 1:5-9).

Leia esses trechos com bastante atenção. Os pastores na sua igreja têm todas essas qualificações? São homens? Casados? Pais de famílias? Com filhos crentes? Conhecedores da palavra? Hospitaleiros? Respeitados por todos? Irrepreensíveis? Professores capazes? Amigos do bem? Têm todas as outras qualidades citadas aqui? Homens com todas essas qualificações são uma grande bênção ao povo de Deus, e serão extremamente úteis nas igrejas locais onde servem como presbíteros. Mas, pessoas que não têm essas qualificações não são autorizadas por Deus a serem pastores. A igreja que escolhe pessoas não-qualificadas como bispos está desrespeitando a palavra de Deus. Pessoas não-qualificadas que aceitam o cargo de pastor estão agindo contra o Supremo Pastor. Presbíteros não-qualificados que continuam nesse papel estão violando a palavra de Deus.
É notável que essas passagens não falam nada sobre escolaridade, cursos superiores, cursos de teologia, diplomas, certificados de seminários, etc. Muitas igrejas têm colocado tais coisas como seus próprios requerimentos, deixando de lado as exigências de Deus.

Desafios atuais
Não é possível, num pequeno artigo como este, elaborar um estudo completo sobre pastores. O propósito deste artigo é desafiar cada leitor a estudar mais, procurando entender bem o que Deus revelou sobre liderança na igreja. Mas, não é o bastante ouvir a palavra. Tem que praticá-la (Tiago 1:22-25). Se você, ou a igreja onde você congrega, esteja agindo de forma errada, há uma solução só: arrepender-se e começar a obedecer ao Senhor. Pastores não-qualificados devem renunciar ou serem removidos do cargo, para não trazer a ira de Deus sobre a igreja. E se sua igreja insiste em manter pastor(es) não aprovado(s) de Deus, você terá que escolher entre Deus e os homens (Mateus 15:9; Josué 24:15). Tal igreja está desordenada (Tito 1:5) e não procede como deve (1 Timóteo 3:15). Igrejas que ainda não têm presbíteros devem encorajar todos os homens a se desenvolverem espiritualmente para serem qualificados, se possível, no futuro.

"Porventura, procuro eu, agora, o favor dos homens ou o de Deus? Ou procuro agradar a homens? Se agradasse ainda a homens, não seria servo de Cristo" (Gálatas 1:10).

-por Dennis Allan

Recebendo de Deus...

Textos:

2a Cr 16.9 - Porque, quanto ao SENHOR, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dele; nisto procedeste loucamente; por isso, desde agora, haverá guerras contra ti.

1ª Ts 4.3, 7 - que Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; 7porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação.

Hb 12.14 - Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.

Dt 5.22-31 - Estas palavras falou o SENHOR a toda a vossa congregação no monte, do meio do fogo, da nuvem e da escuridade, com grande voz, e nada acrescentou. Tendo-as escrito em duas tábuas de pedra, deu-mas a mim. 23Sucedeu que, ouvindo a voz do meio das trevas, enquanto ardia o monte em fogo, vos achegastes a mim, todos os cabeças das vossas tribos e vossos anciãos, 24e dissestes: Eis aqui o SENHOR, nosso Deus, nos fez ver a sua glória e a sua grandeza, e ouvimos a sua voz do meio do fogo; hoje, vimos que Deus fala com o homem, e este permanece vivo. 25Agora, pois, por que morreríamos? Pois este grande fogo nos consumiria; se ainda mais ouvíssemos a voz do SENHOR, nosso Deus, morreríamos. 26Porque quem há, de toda carne, que tenha ouvido a voz do Deus vivo falar do meio do fogo, como nós ouvimos, e permanecido vivo? 27Chega-te, e ouve tudo o que disser o SENHOR, nosso Deus; e tu nos dirás tudo o que te disser o SENHOR, nosso Deus, e o ouviremos, e o cumpriremos. 28Ouvindo, pois, o SENHOR as vossas palavras, quando me faláveis a mim, o SENHOR me disse: Eu ouvi as palavras deste povo, as quais te disseram; em tudo falaram eles bem. 29Quem dera que eles tivessem tal coração, que me temessem e guardassem em todo o tempo todos os meus mandamentos, para que bem lhes fosse a eles e a seus filhos, para sempre! 30Vai, dize-lhes: Tornai-vos às vossas tendas. 31Tu, porém, fica-te aqui comigo, e eu te direi todos os mandamentos, e estatutos, e juízos que tu lhes hás de ensinar que cumpram na terra que eu lhes darei para possuí-la.


Hoje em dia falamos sobre o estabelecer na igreja quem é mais ou menos espiritual. Antigamente, falávamos sobre o mais ou menos santo. A compreensão era definida com pequenas coisas, como por exemplo os cânticos, contudo a conduta continuava a mesma após dois dias.

Muitos desenvolvem uma santidade aparente, desenvolvem uma santidade forjada em valores errados, cuidam apenas da casca. Nossas obras também não definem nossa santidade.

Deus trabalha em nossa vida a medida a partir do momento que buscamos Sua intimidade. Sua caminhada Cristã precisava estar além da mediocridade dos cristãos atuais.

Alguns embaraços precisam ser arrancados de nossa vida para glorificar a Deus: mentira, maledicência, mediocridade cristã, prostituição, pornografia, impureza sexual, brigas, contendas, porfias, facção, inimizades...

Precisamos sonhar coisas que dignificam a Deus, saindo da mediocridade. Coisas que glorificam o nome de Deus: Ele nos escolheu para dar muito fruto. Jo 15.8 - Nisto é glorificado meu Pai, em que deis muito fruto; e assim vos tornareis meus discípulos.

Temos que aprender a depender do Senhor, temos apenas dois peixes e cinco pães e precisamos alimentar uma multidão de cinco (dez, vinte, cem) mil de sedentos. Somente através da presença de Deus, contemplando Ele, de Glória em Glória vamos sendo transformados.

O pecado é uma doença gera morte, quanto mais tempo ficarmos brincando com o pecado, não receberemos a Unção Sem Limites.

O pecado também não pode ser justificava em tirar minha consagração. Quem não tem tempo para se consagrar diante de Deus morre espiritualmente. Você pode escolher viver flertando com o pecado, o caminho destinado é o inferno. Muitos se infiltram no meio da igreja a fim de conduzir os filhos da graça de Deus para distantes do Pai.

A carne nunca irá sentir necessidade de se humilhar, nós temos que levá-la a humilhação.

Asssim, penso que melhor é buscar enquanto podemos achar e encontrar. Não deixe se levar pelo pecado em sua vida. Encontrar-se com Jesus é estar diariamente diante daquele que concede aos seus amigos/servos a Sua Unção que é Sem Limites.
 
God Bless your life!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Somos Vasos de Honra!

TEXTO: 2o Co 4.7 - Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós.

A unção sem limites deve nos levar a sermos apaixonados pela palavra de Deus. A unção sem limites não vai me impedir de conhecer aquilo que Deus fez, pelo contrário ela me trará sede e fome de Deus.

Jr 18.1-6 - Palavra do SENHOR que veio a Jeremias, dizendo: Dispõe-te, e desce à casa do oleiro, e lá ouvirás as minhas palavras. Desci à casa do oleiro, e eis que ele estava entregue à sua obra sobre as rodas. Como o vaso que o oleiro fazia de barro se lhe estragou na mão, tornou a fazer dele outro vaso, segundo bem lhe pareceu. Então, veio a mim a palavra do SENHOR: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? - diz o SENHOR; eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel.

SOMOS VASOS DE BARRO
O barro pode ser moldado. Para que a excelência do poder seja de Deus.


Deus nos gerou para multiplicar. Ele nos abençoou com uma unção para a multiplicação e fecundação.

Gn 1.26-28 - Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.

Deus procura restaurar os vasos rachados.
Ele usa as Suas mãos para nos moldar, a mão que trabalha na parte interna do vaso é a do Espírito Santo. Essa parte interna é o nosso caráter, personalidade, vida interior, convencimento do pecado, da justiça e do juízo. A mão de fora são as circunstâncias. Muitas vezes rejeitamos as circunstâncias difíceis (pessoas difíceis, complicadas...). A mão de Deus está nessas situações. Seu desejo é usar dessas circunstâncias para nos moldar.

Não é o vaso que determina sua forma, e sim o oleiro é quem determina qual o tamanho, largura, tamanho, profundidade do vaso. Deus trabalha em nós para sermos um vaso restaurado, saudável, de honra em suas mãos de graça.

O vaso não é maior do que o oleiro.
Quando o vaso deseja ser maior do que o oleiro, eles entram no caminho da Síndrome de Lucidez. Quando o ser humano caminha para o orgulho, avareza, altivez, se torna vaso de desonra, assim como os demônios, desfigurados da imagem do Senhor.

O vaso manifesta os princípios da Palavra.
Deus quer encher cada vaso com suas promessas, riquezas e também os seus mandamentos. Um dos erros do cristianismo pós-moderno é que muitos cristãos buscam mais as promessas do que os mandamentos. Precisamos de homens e mulheres cheios dessa presença Sem Limites de Deus. O caráter e a honestidade fazem parte desses princípios de Deus. Quando nós tivermos esses vasos de honra teremos um impacto de Deus jamais visto em nossa nação. Os discípulos deixam-se ser moldados pela palavra de Deus. Deixa Deus completar a obra em sua vida. Ele quer encher a sua com graça de Deus.

Deus quer encontrar Água, óleo, perfume, vinho e tesouros em seus vasos.

O salmista disse guardo a tua palavra no meu coração para não pecar contra ti (119.11). Deus quer encontrar nesse vaso libertação amor, comunhão, intimidade, sementes divinas, a Sua Glória...


Água, óleo, perfume, vinho e tesouros são as coisas que Deus quer encontrar dentro dos seus vasos. O profeta Jeremias escreveu, no capítulo 2, verso 13: Porque dois males cometeu o meu povo: a mim me deixaram, o manancial de águas vivas, e cavaram cisternas, cisternas rotas, que não retêm as águas. Deus não desiste dos vasos rachados, sendo assim, Ele não desiste de você!


Quando estamos ligados ao Senhor reecontramos nosso significado

II Co 1.21.22 -
- Fomos ungidos para espalhar a Santidade BíbliMas aquele que nos confirma convosco em Cristo e nos ungiu é Deus, que também nos selou e nos deu o penhor do Espírito em nosso coração.ca na face da Terra.

Fomos chamados para termos a marca da santidade em nosso coração.  
I Pe 1.15-19 - pelo contrário, segundo é santo aquele que vos chamou, tornai-vos santos também vós mesmos em todo o vosso procedimento, porque escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. Ora, se invocais como Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo as obras de cada um, portai-vos com temor durante o tempo da vossa peregrinação, sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo.

- Fomos ungidos para levar o evangelho por toda a terra.

Is 61.1-3 – O Espírito do SENHOR Deus está sobre mim, porque o SENHOR me ungiu para pregar boas-novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos e a pôr em liberdade os algemados; 2a apregoar o ano aceitável do SENHOR e o dia da vingança do nosso Deus; a consolar todos os que choram 3e a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pranto, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo SENHOR para a sua glória.

- Fomos ungidos para combater a injustiça. Quando a Igreja se cala diante das injustiças sociais. Muitos se vendem em troca de um “monte de tijolos”, depois eles nos roubam por não combatermos, cobrarmos, etc.

- Fomos chamados para servir, reforçar a nação, discernir a realidade subversiva e pecaminosa do outro.

- Fomos ungidos para sermos usados poderosamente.

Você precisa entender isto: somos vasos de barro na presença do Senhor e cabe a Ele nos moldar, nos transformar...

Um grande abraço meu querido discípulo...