Quem não tem coração e atitude de ovelha, não serve para ser pastor. A autoridade provém da submissão e o governo é legitimado pelo serviço.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Quem mora na sua casa? Betel ou Bete-Áven?

- por Dennis Allan


Abraão adorou a Deus naquele lugar. Jacó, depois de um encontro com Deus, deu ao local um nome de signficado especial. Samuel julgou Israel no mesmo lugar. Elias e Eliseu passaram por lá em sua última viagem juntos. Mas, Jeremias disse que Israel envergonhou-se do mesmo lugar. Betel, uma cidade localizada 20 km ao norte de Jerusalém, tem uma história cheia de significado. Faremos bem aprendendo e aplicando em nossas vidas as lições de Betel.

Abrão Adora em Betel
Abrão deixou Ur dos caldeus e subiu o vale do Rio Eufrates até Harã, onde seu pai faleceu. De Harã, ele virou para o sul e seguiu em direção à terra de Canaã. Parou em Siquém, e depois edificou um altar entre Ai e Betel, onde “invocou o nome do Senhor” (Gênesis 12:8). Abrão continuou a sua jornada ao sul e estabeleceu residência no Neguebe. Passou algum tempo no Egito e voltou novamente para o Neguebe, de onde fazia viagens a Betel para invocar o nome de Deus (Gênesis 13:3-4). Betel, para o patriarca Abrão, foi um lugar de encontro com Deus. Tornou-se a casa de Deus.
   
Jacó Encontra Deus em Betel
Embora o autor de Gênesis tenha usado o nome Betel quando falou de Abrão, a cidade adotou esse nome duas gerações mais tarde. Quando a contenda entre Jacó e Esaú chegou ao ponto de o mais velho querer matar o mais novo, Jacó fugiu de sua terra e procurou seus parentes em Padã-Arã. No final do primeiro dia de viagem, ele parou em uma cidade chamada Luz. Durante a noite, Deus apareceu a Jacó e lhe mostrou uma escada da terra ao céu, pela qual anjos desciam e subiam. Deus repetiu a Jacó as três partes da grande promessa feita a Abrão em Gênesis 12: Terra prometida; Povo numeroso; Bênçãos para todas as famílias da terra por meio de seu descendente. Quando acordou, Jacó disse: “Na verdade, o Senhor está neste lugar, e eu não o sabia. E temendo, disse: Quão temível é este lugar! É a casa de Deus, a porta dos céus”. Jacó mudou o nome do lugar, chamando-o de “Betel”, que significa “casa de Deus” (Gênesis 28:1-22).

Jacó habitou 20 anos em Padã-Arã. Casou-se, teve filhos e tornou-se rico. Quando voltou para sua terra, ficou algum tempo em Siquém. Quando Deus o chamou para voltar a Betel, Jacó mandou que todos de sua família se purificassem antes de subir à casa de Deus. Ele fez um altar e o chamou de “El-Betel”, que significa “Deus da Casa de Deus” (Gênesis 35:1-7).   

Nós, também, devemos nos purificar antes de nos aproximarmos de Deus. Ele é luz, e não mantém comunhão com as trevas. Devemos jogar fora “toda impureza e acúmulo de maldade” (Tiago 1:21) e nos purificarmos “de toda impureza, tanto da carne como do espírito, aperfeiçoando a nossa santidade no temor de Deus” (2 Coríntios 7:1).

Betel: A Casa de DeusA importância de Betel como um lugar de encontros com Deus continuou por mais de 800 anos, até o início do reino de Israel. Era um dos lugares onde Samuel julgava o povo (1 Samuel 7:16). Quando Saul foi ungido rei, encontrou homens que estavam “subindo a Deus a Betel” (1 Samuel 10:3).   

Quando pensamos em Betel, da chegada de Abrão em Canaã até a época dos reis, pensamos na casa de Deus, um lugar especial de encontros entre homens de fé e seu Criador.

Uma Mudança Triste
Infelizmente, Betel perdeu a honra de ser a casa de Deus. Jeremias, escrevendo 400 anos depois de Samuel, disse que “a casa de Israel se envergonhou de Betel” (Jeremias 48:13). Por quê? O profeta Oséias, um século antes de Jeremias, explica o motivo dessa triste mudança. Repetidamente, Oséias se refere a Betel com outro nome, “Bete-Áven”. Veja as palavras desse profeta: “...não subais a Bete-Áven...” (4:15); “Levantai gritos em Bete-Áven” (5:8). Em vez de Betel, Oséias usa esse outro nome. Bete-Áven quer dizer “Casa do Nada” ou “Casa de Vaidade”. Como é que a Casa de Deus tornou-se a Casa do Nada? Oséias explica: “Os moradores de Samaria serão atemorizados por causa do bezerro de Bete-Áven... e os sacerdotes idólatras tremerão por causa da sua glória, que já se foi.... Israel se envergonhará por causa de seu próprio capricho.... E os altos de Áven, pecado de Israel, serão destruídos...” (10:5-8). O pecado, a idolatria e, especificamente, o bezerro de ouro foram motivos para o declínio de Betel. A casa de Deus tornou-se a casa de vaidade. O Senhor não habitou mais na cidade onde Abrão, Jacó, Samuel e outros o encontravam. Ele foi expulso de sua própria casa.

O Pecado de JeroboãoO fato mais marcante na triste história de Betel aconteceu nove séculos antes de Cristo, logo após a morte do rei Salomão. Devido à infidelidade de Salomão, Deus tirou uma boa parte do reino que pertencia aos reis descendentes de Salomão, e a deu nas mãos de Jeroboão. Este começou a reinar sobre as dez tribos do norte, conhecidas coletivamente como Israel ou Samaria. Deus prometera estabelecer o reinado de Jeroboão, se o mesmo fosse fiel: “Se ouvires tudo o que eu te ordenar, e andares nos meus caminhos, e fizeres o que é reto perante mim, guardando os meus estatutos e os meus mandamentos, como fez Davi, meu servo, eu serei contigo, e te edificarei uma casa estável, como edifiquei a Davi, e te darei Israel” (1 Reis 11:38).

Em vez de confiar na promessa de Deus, Jeroboão procurou seus próprios meios para segurar o poder sobre Israel. Ele ficou preocupado com as viagens periódicas dos israelitas a Jerusalém, o centro de adoração a Deus no Antigo Testamento. Imaginou que a influência de seus irmãos do sul provocaria uma rebelião e faria com que o rejeitassem como rei. Para evitar tal acontecimento, Jeroboão introduziu uma série de mudanças nas práticas religiosas do povo (1 Reis 12:25-33): Ele mudou os símbolos religiosos. Em vez de representar a presença de Deus com a arca da aliança, Jeroboão fez dois bezerros de ouro, repetindo o pecado cometido por Arão logo após a saída do Egito (Êxodo 32).  Mudou o lugar sagrado. Deus havia escolhido Jerusalém como o lugar de adoração para os israelitas. Jeroboão, para evitar que o povo voltasse para o território de Judá, escolheu Betel e Dã. Mudou o sacerdócio. Deus especificou sacerdotes da tribo de Levi, mas Jeroboão consagrou sacerdotes de outras tribos. Jeroboão mudou o calendário religioso. Havia festas importantes em Jerusalém em diferentes meses do ano, incluindo uma que começava no dia 15 do sétimo mês. Mas Jeroboão escolheu o décimo quinto dia do oitavo mês para a sua festa, sem nenhuma autorização divina. (...)
   
Outros “Betel”?
O caso de Betel e de seu pecado é único na história do povo de Deus? Infelizmente, não. Consideremos outras casas de Deus.

O templo em Jerusalém representou a presença de Deus no meio do povo a partir do reinado de Salomão. Mas por duas vezes, Deus deixou a sua casa devido ao pecado do povo. Ezequiel, nos capítulos de 8 a 10, mostra como Deus foi expulso quando o povo encheu a casa com idolatria, perversidade e corrupção.

A igreja de Jesus é a casa de Deus (1 Coríntios 3:16-17; 1 Timóteo 3:15). Mas, da mesma forma que o povo do Velho Testamento desviou-se do Senhor, hoje, igrejas podem abandonar o caminho e perder a sua comunhão com Deus (Apocalipse 2:5; 3:3; etc.). A Casa de Deus pode ficar deserta.

O cristão é o templo do Senhor (João 14:23; 1 Coríntios 6:19-20). Para manter a nossa comunhão com Deus, temos de amá-lo e guardar a sua palavra. Se voltar ao pecado e recusar a se arrepender, perderá a sua esperança (Hebreus 10:26-31). Deus ainda pode sair de sua casa.

Quem Mora na Sua Casa?

Jesus quer habitar em nós. Para isso, é necessário crucificar o velho homem egoísta e deixar Cristo viver em nós (Gálatas 2:19-20). Dependemos totalmente de Jesus? Deixamos Deus dominar completamente a nossa vida? Ou expulsamos o Senhor de uma casa cheia de pecado, perversidade e egoísmo? Deus não divide a casa com as trevas (leia Colossenses 3:1-10).

Você pode, honestamente, chamar-se de Betel, ou de Bete-Áven? Quem mora na sua casa?

Você, eternamente, pretende morar na casa de quem?

Nenhum comentário:

Postar um comentário