Quem não tem coração e atitude de ovelha, não serve para ser pastor. A autoridade provém da submissão e o governo é legitimado pelo serviço.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Tempo de Avivamento



Textos: Is 60.22 /  Dt 10.8 / Js  23.10-11


  Ao pensar em avivamento imaginamos um tempo de que não seja sofrimento. E sim de coisas boas. Em tempo de avivamento temos que ser mais zelosos, mais preocupados (Ananinas e Safira). 
  Avivamento é o tempo em que foi criado para explicar onde Deus tem a oportunidade para transformar as vidas. Avivamento quer dizer voltar a viver.
  Quando falamos de avivamento imaginamos uma falta de vida. Avivamento implica em rendição completa, serviço ativo... 
  É tempo profético, pois as escrituras se cumprem. Jesus diz que as escrituras foram cumpridas. Promessas são cumpridas. Aqui será um tempo profético. Muitas promessas não cumpridas em nossa vida são cumpridas no tempo de avivamento. Quando nós falamos de tempo profético, falamos da palavra que se faz cumprida (Jo 1).
  Tempo de avivamento não é tempo de manifestação, e sim de cumprimento da palavra de Deus. Muitos querem as manifestações, mas se frustram quando elas não ocorrem. Precisamos muito do cumprimento da presença do Senhor, seja com o arrepio ou sem arrepio.
  Tem muitas manifestações que são emocionais, precisamos ter discernimento quanto à ação que ocorre no local. Nas bodas de Caná a glória foi manifesta, mas muitos bebiam, valorizamos mais a bebida do que aquilo que Jesus tinha operado. Muitos se distraem com manifestações da emoção, da carne... Muitos outros desprezam o Emanuel pela falta dos arrepios. Que você possa beber do vinho, mas também sentir a glória do Senhor.
  Jesus disse muitas vezes que as pessoas testemunhassem do que Jesus fez. Avivamento fabricado precisa de marketing. Em tempo de avivamento a mão direita não precisa saber o que a mãe esquerda quer.
  Tempo de avivamento é o tempo em que covarde se torna valente. Na época que o Senhor é conosco pouco importa o que foi feito no passado, ou o que éramos no passado. Samuel disse a Saul que ele seria um novo homem. Deus não nos deu espírito de timidez, mas de coragem, moderação e ousadia.
  Toda a dúvida e incredulidade serão quebradas, pois assim como Gideão Deus fazer muito para seu povo. Em tempo de avivamento não ouvimos mais a voz do nosso coração, porque o coração é enganoso. 
  Em tempo de avivamento a força não é nossa. No tempo de Gideão talvez ele não fosse o mais  corajoso e valente, contudo era aquele que estava disponível. 
  A aflição vai chegar no tempo de avivamento, pois o inimigo vai tentar te derrubar. Em tempo de avivamento fomos chamados para sermos vencedores. Pois o foco não sou eu e sim Deus. Não é aqueles que recebem as bênçãos e sim a vontade dEle em cuidar de você.
  No avivamento o foco é Senhor, agora quem vive e leva o avivamento são pessoas que estão dispostas a pagar o preço. Nem todo o mundo está disposto a pagar esse preço por Deus, por sua obra. Até que ponto você está disposto a pagar esse preço por ele?
  Muitos eram ousados, como por exemplo a Igreja de Éfeso, deixam as coisas passarem, a experiência com Deus... “Eu não sou mais tão jovem”, “preciso ter mais tempo para dedicar ao meu casamento, projeto”.
  No avivamento o foco deverá ser sempre o Senhor. Precisamos manter os olhos sempre no Senhor. Precisamos manter a chama viva no Altar. “O maior palácio sem a presença do Rei não passa de uma casa vazia”, assim também é sua vida sem a presença apaixonada por Deus, sem vida, vazia...
  Sem investimento a paixão acaba. Precisa haver a dedicação para mantermos a chama vida. Seja disposto a pagar o preço (obedecer) a Deus. O espírito não trabalha para fazer a minha vontade. É como quando éramos crianças, quando a mãe dizia que poderíamos brincar depois de arrumar o quarto. O espírito não pode ser comprado, barganhado... A Igreja deve ser do jeito de Deus e não do seu jeito.
   Se Ele é o Senhor de nossas vidas, nossos desejos e vontades deviam ter sidos deixamos na cruz do calvário. Eu prefiro a Deus que a boa fama. Pague o preço por fazer a vontade dEle (Hb 11.38). Desejo pessoal: Ser conhecidos por Deus no julgamento final. Muitos queremos ser conhecidos em sua fama, pelas pessoas, pela mídia, mas foram esquecidos e se esqueceram do Senhor. Esses não entrarão no gozo do Senhor no finais do tempo.
  Cara de 85 anos de idade. Tinham os olhos no Senhor. Chegou o tempo profético na vida dele. O pessoal estava junto dele não quis subir, pois o exército do inimigo era como gafanhoto. Nm 13. Calebe era esse homem, e escolhe a primeira porção. Calebe escolhe a terra de Canaã. Ele esperou 45 anos para experimentar essa promessa. Deus o honrou e Deus também vai te honrar hoje. O tempo do percurso até chegar o tempo da promessa (profético, avivamento) dura um prazo de Deus. Deus deixa trazer vida, ressuscitar os sonhos dele em sua vida. 


Conclusão
  Salomão (Ct 2.16) diz que o seu “amado é dEle e Ele é seu e isto basta”. Mantenha os olhos no Senhor. Feche os seus olhos, e vamos orar. Deus deseja repartir seus olhos contigo.
  O avivamento é tempo de falar eis-me aqui, faça o que tu quiseres. Esse tempo requer entrega e renúncia total. Esse tempo é hoje, já está entre nós. Deixa Deus tocar sua vida, abrir seus olhos, tiram as vendas do entendimento, pois aquele que dá o bom cheiro está aqui... não podemos negociar com Deus, pois as promessas são dele para nossas vidas, o Espírito foi derramado sobre toda a carne. Ele quer operar a Sua vontade em nós. Faça sua escolha nesta noite... você está disposto a renunciar aquilo que te afasta do avivamento do Senhor?
  Dt 10.8 – tribo de Levi foi escolhida para ser a tribo que conduzido o povo a esse tempo de avivamento. 
  Você está cansado dessa vida religiosa, e quer viver esse tempo constante do agir incondicional do Senhor.
  Quer dizer que:  “eu e minha casa serviremos ao Senhor”?




Este texto são anotações pessoais do Pr. Kleyson durante a palavra ministrada pelo Pr. Mano no Congresso da Visão Celular.

Heldai



Ribeirão Preto- SP; 20 de janeiro de 2011.


Olá Irmãos/ãs  que eu posso chamar de amigos/as e colegas da 5ª RE!


Graça e paz!


“Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Por que quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” Romanos 11:33-36.
As orações, o apoio e o carinho de vocês estão sendo de grande importância nessas horas difíceis que enfrentamos. O nosso filho Heldai (Que no hebraico Significa sonho duradouro – Estará eternamente em nossos corações e com o Senhor Deus na glória) de apenas 12 anos, era um menino cheio de sonhos, cristão honesto e convicto, servo, carinhoso, amigo e companheiro. No ano de 2010 nossa igreja Metodista em Vila Virgínia realizou vários eventos em que ele participou de quase todos por ser apaixonado pelo Senhor Jesus e por gostar de servir a Deus. Era um apaixonado pelo PROJETO MISSIONÁRIO UMA SEMANA PARA JESUS o qual participou nos últimos dois anos dando apoio as irmãs da EBF.


Meu filho faleceu na madrugada do dia 12 de janeiro com os demais familiares (06) nossos que também foram soterrados, que mesmos estando em um lugar até então seguro, sem encostas e morros em volta; que eu e minha esposa e filha costumávamos também ficar lá nas férias. Seu corpo; dos tios (Padrinhos e Metodistas de Nova Friburgo-RJ) e primo foram achados sexta-feira à tarde. Não houve sepultamento com a presença dos familiares no sábado; os caixões estiveram lacrados e não nos deixaram sequer vê-los e foram colocados nos túmulos dos nossos familiares lá mesmo em Nova Friburgo- RJ.


O que houve em Nova Friburgo-RJ além das fortes chuvas; foram tremores de terra que também resultaram em deslocamentos de relevos, não respeitando as matas ciliares nativas (Eu estava lá e ouvi!). Diante dessa tragédia em que além do Heldai, perdemos mais 06 outros membros da família, nunca deixamos de crer na soberania e nos desígnios de Deus. Ele resolveu levar o Heldai para si. Por ele ser amigo do Pai e da Mãe, mesmo tendo o senso bíblico-teológico da eternidade de Deus, a saudade, a falta e ausência ainda é muito forte dentro de nós.


Além do acompanhamento incondicional do Bispo Adonias que esteve em Nova Friburgo-RJ em todo tempo no local da tragédia; do Bispo Paulo Lockmam; do apoio das nossas igrejas Metodistas em Catalão-GO e Vila Virgínia no envio de irmãos até o local, e principalmente das orações dos colegas pastores e as demais igrejas da Quinta Região que foram fundamentais; não sei o que seria de nós.


Chegamos terça-feira em Ribeirão Preto- SP. Estamos sendo acompanhados por profissionais da área médica, pelo Bispo Adonias e pelo carinho dos irmãos da nossa igreja local. Nossas vidas jamais serão mais as mesmas; mas a graça de Deus com seu amor e as orações de vocês nos ajudarão à prosseguir, a caminhar e a nos refazer como família.


Muito obrigado por tudo!


Em Cristo Jesus!


Reverendo Márcio Ramos da Silva

terça-feira, 18 de janeiro de 2011