Quem não tem coração e atitude de ovelha, não serve para ser pastor. A autoridade provém da submissão e o governo é legitimado pelo serviço.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Qual é a tua reação diante de ação iminente e inesperada?



Certamente é muito difícil ter a reação certa diante de situações que não estamos aguardando. Quero hoje compartilhar com você uma experiência que tive, e desta forma, testemunhar o que Deus fez na vida de 25 pessoas, incluindo aqui minha esposa Lídia e eu.

Estávamos retornando nesta madrugada (1º/04/2011) de Goiânia com destino à S. J. do Rio Preto e tivemos o ônibus em que viajávamos assaltado por uma quadrilha.  No trecho próximo ao município de Prata/MG fomos surpreendidos por quatro elementos armados com dois revólveres calibre 38 e um 9mm, e também o “chefe” que  estava com uma de grande porte, que segundo as características parecia uma escopeta  (alto poder). O ônibus foi interceptado quando andava a 90 km/h, e após ser abordado o motorista teve que conduzi-lo fora da “linha, caminho, percurso”. Ele foi surpreendido em sua ação e por conta dessas “surpresas” nada agradáveis teve que “mudar de rumo”. Pegamos uma estrada sentido Uberaba, e após o trevo a quadrilha “mandou” o motorista entrar no canavial. Foram momentos intensos e, ao mesmo tempo, terríveis.

Quando ainda estamos na rodovia BR-153 a quadrilha “tomou conta do ônibus em segundos” dizendo “mãos na cabeça, vocês estão sendo assaltados”; a reação foi de total silêncio, os passageiros ficaram “mudos” diante de dois homens armados. Neste momento começou a minha oração. Durante àquela hora, orei a Deus para que “nada, absolutamente nada, ocorresse com qualquer pessoa dentro daquele veiculo”. Após um período de aproximadamente 40 minutos, parados e totalmente reféns dos bandidos, nossos pertences, como dinheiro, cheques, celulares, laptop, jóias, tênis e mochilas, foram tirados. Mas isso era normal acontecer, contudo minha oração e luta com Deus no “Mundo Espiritual” era que nada ocorresse e que ninguém saísse ferido e até mesmo sem vida de lá. Nesse ínterim muitos tiveram a arma postada em sua face, peito, levaram coronhadas, foram disparadas no grito do “cadê o dinheiro merda”. Expressões como “vocês estão me enganando, se mexer muito eu mato, quer morrer?, não sou seu brother ou mano” eram o pano de fundo de todo diálogo dentro daquele ambiente asqueroso. Nesse momento, por estar com minhas mãos abaixadas, tomei um tapa no peito e também me foi colocada a arma em minha barriga, pois “minhas mãos não estavam no lugar certo”, mas calmamente coloquei-as em cima da cabeça.

Após esse embate, tive um momento que passei apurado, quando ao dar o dinheiro para um deles, passei o que eu tinha visto, mas como estava orando e apreensivo não pude perceber ao certo o que tinha passado. Após um período de 35 minutos ali eles perceberam que “não tinham faturado o suficiente” e então começaram a “gritar mais alto” e deram mais um pente fino. Estávamos (eu a Lídia sentados nas poltronas 9 e 10), e fomos os primeiros a ser abordados novamente. Com esse “clamor deles por mais” comecei a orar especificamente pedindo a Deus que não permitisse que nos tocasse e que se houvesse mais algo em minha carteira, que os olhos dos bandidos “fossem cegados”, pois a mentira ali significaria algo a mais. Cada vez que alguém escondia algo, e eles achavam, uma “coronhada” era disparada contra aquele “que não estava colaborando”. Pensei melhor, e tinha lembrado que havia mais cem reais em minha carteira, que eu tinha sacado momentos antes da viagem. Orei ao pai nesse sentido, pois sabia que minha esposa poderia ser “penalizada” pelo meu descuido ou paralisia diante da adversidade inicial. O delinqüente pegou novamente minha carteira, e a revirou, mas, creiam nisso, ele não via nada. Aleluia! Deus foi cuidadoso para conosco. Percebi que mesmo perdendo algo antes, naquele momento fomos que “neutralizados” aos olhos dos nossos inimigos. Ele não viu nada que estava claro aos olhos de qualquer um. Estava lá o dinheiro mas ele não viu nada, absolutamente nada.

É assim que vejo o mover de Deus. Muitos desafios nos são dados, e a manifestação da glória de Deus nos trouxe alegria, mesmo no momento de tribulação, nesse sentido faço menção do apóstolo Paulo aos Romanos:
E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança. E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado (5.3-5).

Amado/a, o diabo roubou até algumas coisas de nossas mãos, contudo em momento algum teve a permissão de “tocar” em nossas vidas. Lendo o Salmo 46 sobre  Deus ser o Nosso Refúgio, mensagem ministrada no último domingo por mim, o Senhor tratou disso previamente. Deus já tinha falado conosco. Nós não estamos imunes às investidas do inimigo, mas em oração estamos sim sustentados por Deus na “hora da angústia”.  Amado/a, sua luta não é contra os banidos, contra os loucos desse mundo, e sim contra forças espirituais da maldade (Ef 6). Creio que Deus não nos diz que estaremos livres desse mundo, mas que nós somos o povo de exclusividade do Senhor. Creio que estávamos naquele lugar, por permissão de Deus, pois o Sol nasce sobre o justo e injusto. Creio que houve um livramento, e por causa dele posso dizer a você: Deus está no controle de nossas vidas. Conte aquilo que Deus faz, fez e profetize o que Ele fará em sua vida.

Finalizo perguntando: Qual é a tua reação diante da ação iminente e inesperada? Creio que meu testemunho pode ter te ajudado. Diante do inesperado fale com o Senhor que sabe o que faz, em todos os momentos e circunstâncias. “Não olhe as circunstâncias, não, não, não, olhe o seu amor”.

Um grande abraço, do seu amigo e pastor que dia a dia renasce para o ministério do amor, Kleyson Fleury.

2 comentários:

  1. ALELUIAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!! Poderia dizer tanta coisa, pensei tanta coisa enquanto lia a história, me deu vontade de chorar, senti grande alegria pela visão espiritual do Rev. Kleyson, mas palavra alguma é capaz de expressar minha gratidão a Deus e ter alguma valia para o Rev. Kleyson e para a Lídia, então eu só digo: ALELUIAAAAAAAA!!! DEUS EM TUDO SEJA LOUVADO!!!

    ResponderExcluir
  2. Amigo, louvo a Deus pelo livramento de vocês. Declaro meu carinho e respeito pelo casal. Que o Senhor continue a guardá-los e protegê-los de todo o mal. Abraços desde Piracicaba.

    ResponderExcluir