Quem não tem coração e atitude de ovelha, não serve para ser pastor. A autoridade provém da submissão e o governo é legitimado pelo serviço.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Importante notícia do Concílio Geral: Avanço Missionário da Igreja Metodista

EIXO I - da Expansão Missionária: Missão, Evangelização, Membros Clérigos/as, Membros Leigos/as e Igreja Local



Avanço Missionário da Igreja Metodista


Proposta:
1)      Que seja aprovada a meta missionária de que cada Estado venha ser no mínimo uma Região Eclesiástica.
2)    Que tenhamos Estados Missionários. Seriam os que ainda não possuem condições de auto-governo e de auto-sustento.
3)    Que parcerias missionárias sejam firmadas entre as atuais Regiões Eclesiásticas e missionárias, Distritos e Igrejas Locais, visando formar novas Regiões Eclesiásticas;
4)      Que no próximo Período Eclesiástico, todas as Regiões, Distritos e Igrejas Locais priorizem em seus Planos de Avanço Missionário a plantação de Igrejas em cidades, sem a presença Metodista, que sejam estratégicas, definidas pelas parcerias. Formando uma conexidade missionária entre regiões, distritos e Igrejas Locais em todo Brasil.
5)      Que as atuais regiões eclesiásticas e missionárias definam até o fim de 2012, dentro deste processo, as cidades estratégicas para expansão missionária e parcerias missionárias, definindo, inclusive, um cronograma para plantação de igrejas nelas.
6)      Que o Colégio Episcopal e COGEAM apresentem até fins de 2013 um Plano Missionário Estratégico para os próximos 15 anos visando a criação de  regiões eclesiásticas, bem como as estratégias para a promoção, execução e acompanhamento das parcerias entre as atuais regiões eclesiásticas e missionárias.
7)      Que as metas abaixo sejam priorizadas por todos no próximo período eclesiástico:
a. A 5ª e 4ª RE’s trabalhem em parceria para consolidar Minas Gerais como uma  Região Eclesiástica;
b. A 2ª e 6ª RE’s trabalhem em parceria para que o Estado de Santa Catarina venha ser uma Região Eclesiástica;
c. A 6ª e 5ª RE’s trabalhem em parceria para que o Estado do Mato Grosso do Sul  venha ser uma Região Eclesiástica;
d. A 3ª e 5ª RE’s trabalhem em parceria para promover a autonomia do interior de SP, levando-o a uma Região Eclesiástica;
e. A 1ª e 4ª RE’s trabalhem em parceria para que o Estado do Espírito Santo venha
8)  ser uma Região Eclesiástica.
9)  Que sejam iniciadas imediatamente após o encerramento do 19° CG as discussões e encaminhamentos para a criação das novas regiões missionárias, possibilitando que os Concílios Regionais de 2011 possam apreciar a matéria. Tendo até fins de 2012 o prazo para definição e implantação do Plano de parceria das novas regiões missionárias.
10)  Que até o 20° CG haja uma proposta do Colégio Episcopal e  COGEAM discutida com as atuais regiões eclesiásticas e missionárias sobre o modelo de governo da Igreja Metodista que atenda a criação de no mínimo 26 regiões eclesiásticas e missionárias.
11)  A gestão administrativa dos estados missionários ficará sob a responsabilidade das Regiões Eclesiásticas parceiras nos estados missionários. O Plano de Parceira estabelecerá a designação de um Superintendente Missionário para as novas regiões missionárias;
12)  Que as Regiões Eclesiásticas continuem suas parcerias com as Regiões Missionárias do Amazonas e do Nordeste ate que elas se tornem Regiões Eclesiásticas autônomas ou seus Estados Missionários venham ser Estados Regiões, conforme a presente proposta.
13)  Que as COREAM’s ou seus representantes, com os seus respectivos Secretários/as Regionais de Expansão Missionárias trabalhem um Plano Estratégico Nacional na perspectiva de 15 anos, porém caminhando por períodos eclesiásticos firmando as parcerias, estabelecendo metas a serem cumpridas e definindo os passos que precisam ser dados.
14)  Que seja formado um Fundo Missionário Nacional, visando ter recursos para Reuniões de Planejamentos, Capacitação e Manutenção e envio de Missionário, a ser regulamentado.
15)   Que, em todos os cursos de formação de pastores/as, missionários/as, evangelistas, diáconos e diaconisas, seja ampliado o conteúdo Missionário e de plantação de Igrejas, com carga horária maior e com ministrantes prioritariamente metodistas frutíferos e experientes.
16)  Que sejam estimuladas outras parcerias missionárias entre todas as atuais regiões eclesiásticas e missionárias, envolvendo também distritos, igrejas locais.

Justificativa:
Há um ditado que diz: A União faz a força. Se o povo metodista unir suas forças e firmar sua visão missionária, não temos duvidas de que faremos uma grande colheita de novos discípulos/as para a gloria de Deus.
-  Considerando que há um grande interesse da Igreja Nacional por ajustes geográficos a partir de algumas realidades regionais;
  Considerando que em toda a história de nossa presença no Brasil, somos em torno de 200 mil Metodistas, portanto temos uma dívida missionária para com nosso país;
 Considerando que a sugestão de proposta encaminhada pela COGEAM às COREAM’s regionais teve um retorno positivo quanto à idéia de mudança, não aprovando a sugestão em si;
-  Considerando que em curto prazo seria impossível propor mudanças reais, dadas as implicações envolvidas como os regionalismos, questões econômicas, sócio/políticas, afetivas, transferências de obreiros e a própria sustentabilidade;
-  Considerando que as regiões missionárias estão bem focadas em seus respectivos planejamentos de auto-governo e auto-sustentabilidade e alterar este quadro seria desmantelar sonhos e frustrar projetos;
-  Considerando as perspectivas de um olhar para 15 anos à frente na caminhada missionária e no crescimento integral da Igreja Metodista;
-    Considerando que a nossa maior motivação é obediência Missionária ao Deus Missionário.


Nenhum comentário:

Postar um comentário